Lição 131: Aquele que busca alcançar a verdade não pode falhar.

pexels-photo-261909.jpeg

Aquele que busca alcançar a verdade não pode falhar.

 

  1. O fracasso está em tudo à tua volta quando buscas metas que não podem ser conseguidas. Procuras permanência no impermanente, o amor onde não há nenhum, a segurança em meio ao perigo, a imortalidade dentro da escuridão do sonho da morte. Quem poderia ter sucesso onde a contradição é o cenário da sua busca e o lugar aonde vem para achar estabilidade?
  1. Metas sem significado não são atingidas. Não há nenhum modo de alcançá-las, pois os meios pelos quais lutas por elas são tão sem significado quanto elas próprias. Quem pode usar tais meios sem sentido e esperar ganhar alguma coisa através deles? Aonde podem conduzir? E o que poderiam conseguir que oferecesse qualquer esperança de ser real? A procura do imaginado conduz à morte porque é a busca do nada, e enquanto buscas a vida, pedes a morte. Procuras estar a salvo e em segurança, enquanto em teu coração rezas pelo perigo e pela proteção do pequeno sonho que fizeste.
  1. No entanto, a busca é inevitável aqui. Foi para isso que vieste e certamente farás o que é a razão da tua vinda. Mas o mundo não pode ditar a meta que buscas, a menos que lhe dês o poder de fazê-lo. Caso contrário, ainda és livre para escolher uma meta que esteja além do mundo e de todo pensamento mundano e que te venha de uma ideia que abandonaste, mas que ainda é lembrada, uma ideia velha e no entanto nova, um eco de uma herança esquecida, mas que contém tudo o que realmente queres.
  1. Fica contente por teres que buscar. Fica contente também por aprenderes que estás em busca do Céu e que não podes deixar de achar a meta que realmente queres. Ninguém pode falhar ao querer essa meta e alcançá-la no final. O Filho de Deus não pode buscar em vão, embora ele tente forçar um atraso, enganar a si mesmo e pensar que é o inferno que ele busca. Quando está errado, ele acha a correção. Quando se desvia, é conduzido de volta à tarefa que lhe foi designada.
  1. Ninguém permanece no inferno, pois ninguém pode abandonar o seu Criador, nem afetar o Seu Amor perfeito, intemporal e imutável. Acharás o Céu. Tudo o que buscas se perderá, menos isso. Mas não por ter sido tirado de ti. Desaparecerá porque não o queres. É tão certo que alcançarás a meta que realmente queres, quanto é certo que Deus te criou na impecabilidade.
  1. Por que esperar pelo Céu? Ele está aqui hoje. O tempo é a grande ilusão, ele é passado ou futuro. Mas isso não pode ser assim, se é onde a Vontade de Deus determina que o Seu Filho esteja. Como poderia a Vontade de Deus estar no passado ou ainda por acontecer? O que a Vontade de Deus determina é agora, sem um passado e totalmente sem futuro. Está tão distante do tempo quanto a distância que há entre uma diminuta vela e uma estrela longínqua ou entre o que escolheste e o que realmente queres.
  1. O Céu permanece como a tua única alternativa para este estranho mundo que fizeste e todos os seus caminhos, os seus padrões mutáveis e suas metas incertas, seus prazeres dolorosos e suas alegrias trágicas. Deus não fez nenhuma contradição. Aquilo que nega a própria existência e ataca a si mesmo não vem Dele. Ele não fez duas mentes, com o Céu como o feliz resultado de uma delas e a terra, a triste consequência da outra, que é em tudo o oposto do Céu.
  1. Deus não sofre nenhum conflito. A Sua criação tampouco está dividida em duas. Como poderia o Seu Filho estar no inferno se o Próprio Deus o estabeleceu no Céu? Poderia ele perder o que a Vontade Eterna lhe deu para ser o seu lar para sempre? Não tentemos mais impor uma vontade alheia ao propósito único de Deus. Ele está aqui porque é Sua Vontade estar e aquilo que é a Vontade de Deus está presente agora, além do alcance do tempo.
  1. Hoje não escolheremos um paradoxo em lugar da verdade. Como poderia o Filho de Deus fazer o tempo para afastar a Vontade de Deus? Assim ele nega a si próprio e contradiz aquilo que não tem oposto. Ele pensa que fez um inferno em oposição ao Céu e acredita que habita no que não existe, enquanto o Céu é o lugar que ele não pode achar.
  1. Hoje deixa para trás pensamentos tolos como esses e, em vez disso, volta a tua mente para ideias verdadeiras. Aquele que busca alcançar a verdade não pode falhar, e é a verdade que buscamos alcançar neste dia. Dedicaremos dez minutos a essa meta por três vezes hoje, e pediremos para ver a ascensão do mundo real substituir as tolas imagens que valorizamos por ideias verdadeiras que se erguem no lugar de pensamentos que não têm significado nem qualquer efeito, e nem sequer fonte ou substância na verdade.
  1. Reconhecemos isso ao iniciarmos os nossos períodos de prática. Começa com isto:

Peço para ver um mundo diferente e

ter um tipo de pensamento diferente daqueles que fiz.

Não fiz sozinho o mundo que busco,

os pensamentos que quero ter não são os meus.

Durante alguns minutos, vigia a tua mente e vê, embora os teus olhos estejam fechados, o mundo sem sentido que pensas ser real. Revê também os pensamentos que são compatíveis com tal mundo, os quais pensas serem verdadeiros. Então, abandona-os e mergulha abaixo deles, em um lugar santo onde não podem entrar. Abaixo deles há uma porta na tua mente que não podes trancar por completo para esconder o que está além.

  1. Busca essa porta e acha-a. Mas antes de tentar abri-la, lembra-te de que aquele que busca alcançar a verdade não pode falhar. E é esse o pedido que fazes hoje. Nada além disso tem qualquer significado agora, nenhuma outra meta tem valor ou é buscada, nada há antes da porta que tu realmente queiras e só buscas o que está depois dela.
  1. Estende a tua mão e vê como essa porta se abre facilmente, apenas com a tua intenção de ir além. Anjos iluminam o caminho de modo que a escuridão se desvanece e tu te achas numa luz tão brilhante e clara que podes compreender todas as coisas que vês. Talvez um momento diminuto de surpresa fará com que pares antes de reconhecer que o mundo que vês na luz, diante de ti, reflete a verdade que conhecias e não esqueceste totalmente nas tuas divagações em sonhos.
  1. Hoje não podes falhar. Lá, o Espírito que o Céu te enviou para que pudesses aproximar-te dessa porta algum dia, caminha contigo e com a Sua ajuda podes passar por ela sem esforço, para a luz. Hoje esse dia veio. Hoje Deus cumpre a Sua antiga promessa feita a Seu Filho santo, assim como o Seu Filho lembra-se daquela que fez a Ele. Este é um dia de contentamento, pois viemos à hora e ao local marcados, onde acharás a meta de toda a tua procura aqui e de toda a busca do mundo que, juntas, chegam ao fim quando passas além dessa porta.
  1. Lembra-te com frequência de que hoje deve ser um dia de especial contentamento e evita pensamentos sombrios e lamentações sem significado. O tempo da salvação veio. O próprio Céu estabeleceu o dia de hoje como um tempo de graças para ti e para o mundo. Se te esqueceres desse fato feliz, lembra a ti mesmo com isto:

Hoje busco e acho tudo o que eu quero.

O meu único propósito me oferece isso.

Aquele que busca alcançar a verdade não pode falhar.

 

 Comentários de Kenneth Wapnick:

“Em um sentido, essa lição é um comentário sobre a famosa passagem no Sermão da Montanha sobre buscar e encontrar: “… busca e acharás;…aquele que busca, encontrará” (Mateus 7:7b,8b) -, a passagem bíblica mais freqüentemente citada no Um Curso em Milagres. Assim, encontramos anunciado aqui o tema importante de que o que buscamos, encontraremos: se buscamos felicidade no mundo, teremos a ilusão de encontrá-la ali; no entanto, se buscamos por ela em nossas mentes, vamos realmente encontrá-la.

Buscamos a felicidade aqui, e nossa existência como criaturas do mundo é estabelecida para que nunca a encontremos realmente, no entanto, continuamente a busquemos. Frustração, desapontamento e desespero são inevitáveis. Portanto, apenas quando escolhemos o Espírito Santo como nosso Professor, podemos voltar à fonte do nosso descontentamento – a escolha equivocada na mente, que nós agora alegremente corrigimos.

Tudo nesse mundo encerra contradição. Na verdade, uma forma de reconhecer que esse mundo não é de Deus e, portanto não é real, é que esse é um lugar de opostos; isso foi feito intencionalmente para ser um oposto ao Céu. Nosso estado natural é a unicidade, o estado não-dualista no qual existe apenas Deus.

Esse é o segredo, que o ego nunca nos deixa olhar. Um Curso em Milagres, como já vimos, arranca o véu que esconde a estratégia do ego, capacitando-nos a olhar para nossas mentes e entender no que o ego está empenhado.

Se nunca escolhermos Jesus como nosso professor, não teremos meios de identificar a estratégia do ego e, portanto, vamos continuar buscando e nunca encontrando. O meio da nossa busca é o corpo, buscando significado lá. No entanto, uma vez que entendemos – olhando para o ego através dos olhos de Jesus – o propósito oculto por trás da insanidade do mundo, e a nossa de acreditarmos nele, facilmente nos movemos além da falta de significado para a verdade.

Na verdade, o mundo não tem poder e não pode nos ferir, pois seu poder aparente está alojado no tomador de decisões na mente – o *você* ao qual Jesus se refere. Se o mundo, suas pessoas e doenças têm o poder de tirar nossa paz e nos privar do Amor de Deus, é apenas porque nós primeiro – como o sonhador do sonho na mente – demos esse poder a elas. Lembrem-se, a dor e o ataque representam o sonho que estabelecemos para evitar a responsabilidade pela situação na qual nos encontramos. No entanto, o problema nunca está em algo externo, mas sempre em nossas mentes. O poder de nos causar dor – na verdade, todos os pensamentos de ataque – repousa apenas em nós.

Ainda que escolhamos contra o Espírito Santo e Sua Expiação, a memória de Deus permanece dentro de nossas mentes. Precisamos apenas escolhê-la, e a verdadeira liberdade repousa em não darmos ao mundo o poder de nos aprisionar.

O princípio da Expiação: a separação de Deus nunca aconteceu. Nós somos livres para sonhar que nos separamos e vivemos no inferno, mas isso não muda a realidade. Ainda permanece a Presença do Espírito Santo na mente certa, que reflete o “Seu Amor perfeito, intemporal e imutável” que une nossa vontade à de Deus.

Jesus não pode fazer essa escolha por nós, no entanto. Ele pode apenas nos lembrar da escolha disponível dentro de nós de aceitar o Céu, que não apenas está dentro de nós, mas é nós mesmos. Nós alegremente escolhemos contra o inferno do ego, percebendo que ele não é mais o que queremos.

Quando escolhemos estar com Jesus, não pode haver separação do Amor de Deus porque ele é o Amor de Deus. Se não existe separação, não existe pecado, culpa ou medo, sem os quais não existe projeção em um mundo que se submete a um passado, presente e futuro. Assim, o instante santo é o caminho de volta para a consciência de “onde a Vontade de Deus determina que o Seu Filho esteja”*no eterno presente do Seu Amor. O início de *“A morada imutável” expressa lindamente esse lugar onde Deus “espera” por Seu Filho:

Onde Deus está, o mundo não está, nem a mente dividida. No entanto, Sua memória está em nossas mentes como o Espírito Santo, e unir-se a Ele leva ao reconhecimento de que tudo é um sonho. Assim, não é realmente que Deus está conosco, mas que nós estamos com Ele, e, na verdade, sempre temos estado com Ele. Nossos sonhos de separação não têm efeitos sobre a realidade.

Não vamos encontrar o Céu enquanto pensarmos que o Céu é aqui, ou que suas qualidades – amor e imortalidade – são atingíveis nesse mundo. Nós precisamos dizer ao nosso novo professor: “Obrigado, Deus, eu estou errado sobre tudo e você está certo. Como eu poderia ter pensado habitar em um mundo que não existe, e não no mundo no qual já estou? Estou mesmo feliz e grato por estar errado”.

O mundo real não é um lugar, mas um sistema de pensamento que é o oposto total ao do ego, e, na verdade, representa seu desfazer.

Antes da verdade poder alvorecer em nossas mentes, precisamos perdoar a nós mesmos por empurrá-la para longe. Assim, aprendemos o fato feliz de que empurrar Jesus para longe não teve efeitos: ele não foi a lugar algum e, felizmente, nem nós. Sem um efeito, o pecado da separação não é uma causa, e nada existe que não seja causativo. Portanto, o pecado não existe e não existe nada a perdoar. Essa é a verdade e, por escolhermos perdoar, escolhemos buscar o que realmente queremos encontrar. Nosso propósito único garante que vamos conseguir, pois aquele que busca atingir a verdade não pode falhar.

 

PARTICIPE você também do nosso GRUPO DE ESTUDOS Online Gratuito!
Inscreva-se aqui!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s