Lição 12: Eu estou transtornado porque vejo um mundo sem significado.

 IMG_2577

Eu estou transtornado porque vejo um mundo sem significado.

 

A importância dessa idéia está no fato de que ela contém uma correção para uma das principais distorções perceptivas. Pensas que o que te transtorna é um mundo assustador ou um mundo triste, ou um mundo violento, ou um mundo insano. Todos esses atributos são dados a ele por ti. O mundo em si mesmo é sem significado.

Estes exercícios são feitos com os olhos abertos. Olha ao teu redor, dessa vez bem lentamente. Tenta compassar a ti mesmo de maneira que a passagem lenta do teu olhar de uma coisa para outra envolva um intervalo de tempo razoavelmente constante. Não permitas que o tempo da passagem venha a ser notadamente mais longo ou mais curto, mas tenta, em vez disso, manter um compasso medido e uniforme do início ao fim. O que vês não importa. É isso que estás ensinando a ti mesmo ao dar a qualquer coisa sobre a qual o teu olhar pousar igual atenção e tempo igual. Esse é um passo inicial na aprendizagem de dar igual valor a todas elas.

Ao olhar ao teu redor,dize a ti mesmo:

Eu penso que vejo um mundo amedrontador, um mundo perigoso, um mundo hostil, um mundo triste, um mundo perverso, um mundo louco,

e assim por diante, usando quaisquer termos descritivos que possam te ocorrer. Se termos que parecem positivos em vez de negativos te ocorrerem, inclua-os. Por exemplo, poderias pensar num “mundo bom” ou num “mundo satisfatório”. Se tais termos te ocorrerem, usa-os junto com os outros. Podes ainda não compreender porque esses adjetivos “agradáveis” têm lugar nestes exercícios, mas lembra-te que um “mundo bom” implica em um “mau” e um “mundo satisfatório”, implica em um “insatisfatório”. Todos os termos que cruzarem a tua mente são sujeitos adequados para os exercícios de hoje. A sua qualidade aparente não importa.

Certifica-te de não alterar os intervalos de tempo entre as aplicações da idéia para o dia de hoje ao que pensas que é aprazível e ao que pensas que é desprezível. Para os propósitos destes exercícios, não há nenhuma diferença entre eles. No final do período de prática, acrescenta:

 

Mas eu estou transtornado porque vejo um mundo sem significado.

 

Aquilo que é sem significado não é nem bom nem mau. Então, por que um mundo sem significado deveria transtornar-te? Se pudesses aceitar o mundo como algo sem significado e deixar a verdade ser escrita sobre ele para ti, isso te faria indescritivelmente feliz. Mas, por ser sem significado, tu és impelido a escrever nele o que querias que ele fosse. É isso que vês nele. É isso o que é sem significado na verdade. Por baixo das tuas palavras está escrito o Verbo de Deus. A verdade te transtorna agora, mas quando as tuas palavras tiverem sido apagadas tu verás as Suas, Esse é o propósito fundamental destes exercícios.

Três ou quatro vezes são suficientes para a prática da idéia para o dia de hoje. Os períodos de prática também não devem exceder um minuto. Podes achar até mesmo isso longo demais. Termina os exercícios ao experimentar uma sensação de tensão.

(Livro: Um Curso em Milagres)

Para estudar a lição em áudio, clique no link abaixo:

 

Para ouvir a “música-lição” em inglês, em celebração aos 50 anos do livro “A Course in Miracle” – 2015 Revival – by James Twyman – clique no link abaixo:

 

Caso esteja tendo dificuldade de ver os áudios:  clique aqui

Para rever as lições 01 a 11: clique aqui

Para voltar às postagens:  clique aqui